Há mais médicas do que médicos. Diferenças na prática clínica?