“O primeiro-ministro fez uma referência que o sistema tinha uma carga superior em mais 20.00 utentes neste pico que estamos a enfrentar e concluímos que não é verdade. O senhor primeiro-ministro viu os números ao contrário, porque o sistema não tem mais vinte mil utentes, tem menos vinte mil utentes [do que há um ano], o que quer dizer que o sistema está a responder pior do que antes”, afirmou o vice-presidente da bancada do grupo parlamentar do PSD Miguel Santos.

No final de uma reunião com a bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, o deputado do PSD considerou que “o panorama não é animador” no SNS´, mas salientou que “a culpa não é certamente dos profissionais”.

“A culpa é da política que este Governo está a implementar, nomeadamente com as cativações”, acusou.

Ana Rita Cavaco, que é também membro do Conselho Nacional do PSD, órgão máximo do partido entre Congressos, corroborou os dados avançados por Miguel Santos e acusou ainda o Governo de apresentar “dados falseados” sobre os tempos de espera nos serviços de urgência no portal “My SNS”.

“Vemos um ministro mais preocupado com a qualidade das fotografias [sobre problemas nas urgências] e com quem as tirou do que com estas situações”, afirmou, acrescentando que os problemas denunciados publicamente têm sido confirmados por profissionais da Ordem.

Questionada se o anunciado reforço de enfermeiros poderá ajudar, a bastonária respondeu que não, pelo menos no imediato, uma vez que esses profissionais apenas “estarão aptos a trabalhar no final de março”.

A Ordem dos Médicos e a Ordem dos Enfermeiros têm denunciado nas últimas semanas o que consideram ser situações de sobrecarga no atendimento das urgências, com tempos de espera que excedem o aceitável.

LUSA/SO