O trabalho da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP) foi destacado, no Congresso anual da Federação Internacional da Diabetes (IDF) que está a decorrer em Abu Dhabi, através:

  • da renovação do seu certificado internacional como centro de excelência em cuidados de diabetes;
  • da eleição do seu presidente, José Manuel Boavida, para o board da IDF Europa;
  • e da atribuição do galardão Lifetime Achievement Award ao seu ex-presidente, Luis Gardete Correia.

O programa científico do Congresso 2017 da IDF é organizado em 160 horas de sessões com 300 oradores, especialistas nas mais diversificadas vertentes da diabetes, nomeadamente ciência básica e clínica, complicações da diabetes, pé diabético, a diabetes na sociedade e na cultura, a diabetes em mulheres e crianças, educação terapêutica e cuidados integrados, epidemiologia e saúde pública, entre outras.

À margem do Congresso, José Manuel Boavida, comenta que “apesar das nossas recentes conquistas, a diabetes continua a ser um problema global muito significativo. Em todo o mundo, em 2011, a cada 7 segundos uma pessoa morreu de complicações derivadas da diabetes. Seis anos depois, apesar do aumento do conhecimento, das novas diretrizes, recomendações clínicas e terapias, uma pessoa morreu a cada 8 segundos por causa da diabetes. Todos concordamos na urgência de encontrar soluções globais que travem o “tsunami” da diabetes. A APDP prossegue esse caminho, o da melhoria da atenção e dos cuidados, da educação e do acompanhamento, sem esquecer o da prevenção! E é com muito orgulho que verificamos que a APDP continua a ser um exemplo para a comunidade internacional que se preocupa com a diabetes”.

Comunicado/SO