O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) refere em nota de imprensa que “o secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, aprovou o pedido de autorização prévia para a realização dos investimentos das obras de construção do edifício destinado à instalação dos serviços farmacêuticos”, prevista para a unidade de Caldas da Rainha do Centro Hospitalar do Oeste. As obras, para as quais falta lançar concurso público, estão orçadas em 1,7 milhões de euros.

Numa visita realizada em julho ao CHO, o ministro da Saúde admitiu como prioritárias as obras de reformulação da farmácia hospitalar e do bloco operatório, na unidade de Caldas da Rainha, e da urgência de Torres Vedras.

A presidente do Conselho de Administração do CHO, Ana Paula Harfouche, explicou na ocasião que a requalificação da farmácia “irá permitir retomar a preparação dos tratamentos de quimioterapia”, que foi suspensa por falta de condições tanto em Caldas da Rainha, como em Torres Vedras.

A preparação da medicação passou a ser feita no Hospital de Santa Maria, obrigando à deslocação diária de profissionais do CHO a Lisboa, para ser depois administrada no Hospital de Dia de Oncologia de Torres Vedras e no de Caldas da Rainha.

A preparação dos tratamentos de quimioterapia está suspensa pelo Infarmed desde abril de 2016 nas Caldas da Rainha e desde maio de 2017 em Torres Vedras, na sequência de inspeções realizadas pela Autoridade Nacional do Medicamento.

O “facto de a câmara de fluxos laminares não estar no sítio adequado” e não estarem “garantidos os requisitos técnicos”, situação que poderia, inclusive, acarretar “riscos para os profissionais” levou o Infarmed a recomendar a suspensão da preparação da medicação em Torres Vedras.

O Centro Hospitalar do Oeste (CHO) serve uma população de cerca de 300 mil habitantes dos concelhos das Caldas da Rainha, Óbidos, Peniche, Bombarral, Torres Vedras, Cadaval e Lourinhã e de parte dos concelhos de Alcobaça (freguesias de Alfeizerão, Benedita e São Martinho do Porto) e de Mafra (com exceção das freguesias de Malveira, Milharado, Santo Estevão das Galés e Venda do Pinheiro).

LUSA/SO