Em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português congratula-se com a nomeação da antropóloga, pelo Conselho dos Direitos Humanos da Nações Unidas, como “relatora especial para a eliminação da discriminação contra as pessoas afetadas pela lepra e seus familiares”, que ocorreu no passado dia 29 de setembro.

Alice Cruz “é a primeira relatora especial das Nações Unidas cujo mandato é dedicado à promoção e proteção dos direitos das pessoas com lepra, um grupo particularmente vulnerável a violações de direitos humanos”, destaca a nota do Palácio das Necessidades.

A nova responsável, que atualmente leciona na faculdade de direito da Universidade Andina Simón Bolívar, em Quito, Equador, “possui um notável percurso académico e profissional na área da eliminação da lepra e dos estigmas que lhe estão associados”, refere o MNE.

“Esta designação constitui o justo reconhecimento das qualificações académicas e profissionais da nomeada, a par da sua vasta experiência de campo, profundo conhecimento do quadro internacional de direitos humanos e trabalho desenvolvido no âmbito da discriminação das pessoas com lepra”, considera ainda o Governo português.

LUSA/SO/SF