O Médico Kamal Mansinho, anunciou ontem a sua demissão da direção dos programas nacionais do VIH e hepatites, para o qual havia sido nomeado em maio,invocando “razões pessoais”. Uma decisão já confirmada pelo Ministério que irá anunciar em breve o próximo diretor.

Ainda antes da confirmação pelo Ministério da Saúde da saída do também professor do Instituto de Higiene e Medicina Tropical, a Direcção Geral da Saúde dava conta do sucedido justificando o cancelamento de  uma sessão de esclarecimento aos jornalistas sobre o VIH/Sida, agendada para hoje com a demissão do também responsável máximo do Serviço de Infeciologia do Hospital de Egas Moniz, em Lisboa.

Kamal Mansinho, foi nomeado diretor dos programas prioritários para o VIH e hepatites Virais da Direção-Geral da Saúde em maio, substituindo no cargo o médico António Diniz. À época, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo justificou, a decisão de mudança com a necessidade de renovar a estratégica portuguesa contra o VIH.

“O Doutor Kamal Mansinho tem o conhecimento técnico e científico, muita credibilidade na área e um grande enfoque nas questões da prevenção, que queremos privilegiar”, afirmou na altura ao Expresso o secretário de Estado da Saúde, Fernando Araújo.

No despacho que nomeou Kamal Mansinho, assinado pelo diretor-geral de Saúde, Francisco Georde, foram ainda nomeados Emília Nunes como diretora para a área da Prevenção e Controlo do Tabagismo; António Graça como diretor para a área da Promoção da Alimentação Saudável; Pedro Teixeira como diretor para a área da Promoção da Atividade Física; Maria Valadas como diretora para a área da Diabetes; Rui Ferreira como diretor para a área das Doenças Cérebro-cardiovasculares; e Cristina Caetano como diretora para a área das Doenças Respiratórias.

SO

 

 

ler mais