Assim, o NeuroSer, Centro Diagnóstico e Terapias para Doença de Alzheimer e outras patologias neurológicas criou o conceito Manhãs e Tardes no NeuroSer, que pode ser composto por três ateliers distintos de terapias de grupo (atelier ocupacional, atelier da memória e atelier do movimento) que pretendem dar acompanhamento à pessoa com demência durante um período mais alargado.

É possível frequentar uma manhã ou uma tarde por semana, por períodos semanais variados (por exemplo, duas manhãs e uma tarde) ou até mesmo permanecer todo o dia, em função das necessidades e disponibilidade da pessoa/família.

Os grupos são de dimensão reduzida e as atividades são desenvolvidas por uma equipa multidisciplinar, que tem em conta os seus interesses pessoais, as suas histórias de vida, a sua dinâmica familiar e as suas capacidades cognitivas e motoras.

“O que a literatura nos diz é que a estimulação cognitiva, ocupacional e/ou motora em grupo melhora a comunicação, o humor (disposição) e o bem-estar geral, devolvendo um sentimento de competência e eficácia à pessoa e, por isso, proporcionando maior qualidade de vida”, explica Margarida Rebolo, neuropsicóloga no NeuroSer.

De forma a garantir uma intervenção global entre os vários ateliers, as atividades dos três ateliers realizam-se em torno do tema do mês definido no NeuroSer, nos quais a palavra de ordem é “flexibilidade”.

O conceito Manhãs/Tardes tem também como objetivo permitir o descanso do cuidador/familiar, permitindo-lhe realizar atividades significativas para si durante aquele período.

Comunicado/SO/SP