A autarquia adiantou que Vila Nova de Cerveira vai “liderar” o projeto europeu de desporto sénior envolvendo seis entidades de cinco países (Portugal, Hungria, Itália, Grécia e Bulgária), orçado em mais de 300 mil euros.

“Fomos pioneiros num projeto que agora ganha repercussão a nível europeu, o que significa que Vila Nova de Cerveira contribui e impulsiona o desenvolvimento de políticas e estratégias de promoção da saúde mais eficazes”, afirmou o presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, Fernando Nogueira, citado naquela nota.

A iniciativa foi candidatada pela autarquia do distrito de Viana do Castelo e vai ser financiada pelo programa Erasmus + Desporto.

“Com esta candidatura pretende-se estabelecer uma rede de cooperação transnacional, na área do desporto, entre as partes interessadas locais, regionais e agora europeias, de modo a identificar, promover e partilhar boas práticas para a população sénior”, sublinhou Fernando Nogueira.

Além daquele município, a parceria internacional que se vai prolongar por três anos, integrada na medida Collaborative partnerships – Group of priorities 1 (HEPA & European Week of Sport), inclui o Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC), a Associação Zoldpont (Hungria) e os municípios de Cesena, Itália, de Trikala, na Grécia e de Aksakovo, na Bulgária.

O projeto europeu “vai promover a realização de um estudo que envolverá 350 participantes, e a implementação de 12 Olimpíadas Intergeracionais, com a participação mínima de 500 pessoas e o envolvimento de 80 organizações locais, desde Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), associações de jovens, desportivas e voluntários”.

A primeira edição das Olimpíadas Intergeracionais de Vila Nova de Cerveira decorreu em setembro de 2015, no âmbito da Semana Europeia do Desporto. Durante uma semana, “250 participantes dos municípios do Alto Minhotos e de localidades geminadas de Espanha e França estiveram envolvidos na prática de modalidades desportivas universais e jogos tradicionais, com o objetivo de aumentar a consciencialização para a atividade física de grupos mais vulneráveis”.

“O impacto da iniciativa foi alvo de uma avaliação em abril de 2016, através da realização de inquéritos que revelaram que cerca de 30% dos participantes seniores aumentaram a prática do exercício físico. O sucesso conduziu à dinamização da II edição das Olimpíadas Intergeracionais, em novembro de 2016, e na aprovação para a realização em 2017”, explicou o município.

Para a Câmara de Vila Nova de Cerveira “as Olimpíadas Intergeracionais constituem uma boa prática a ser replicada noutras regiões da Europa, considerando que o envelhecimento na Europa é um desafio que marca este século”.

Liderado por Vila Nova de Cerveira, o projeto ‘Desporto em Comum – Olimpíadas Intergeracionais como Motivação para o Desporto e Estilos de Vida mais Saudáveis na População Sénior’ pretende “aprofundar o conhecimento dos fatores motivacionais para a prática continuada de exercício físico na população idosa e seu impacto no estado de aptidão física e mental do idoso”.

LUSA/SO/SF