O Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica (STSS) decretou greve por tempo indeterminado, com início no dia 31 de maio de 2017, conforme informou o Ministério da Saúde.

A greve é determinada pelo facto de, decorridos 140 dos 180 dias do processo legislativo das carreiras dos Técnicos Superiores das áreas de Diagnóstico e Terapêutica (TSDT), o Ministério da Saúde não fornecer qualquer informação sobre o mesmo, nomeadamente a data previsível de aprovação dos diplomas pelo Conselho de Ministros.

Por isso, os Técnicos Superiores das áreas de Diagnóstico e Terapêutica exigem:

1. A imediata aprovação, em Conselho de Ministros, dos projetos de diploma de revisão / criação das carreiras dos Técnicos Superiores das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica, respetivamente em regime de CTFP e CIT, nos termos do acordo firmado entre o governo e os sindicatos, no passado dia 12 de dezembro;

2. Apresentação pelo governo, até ao dia 31 de maio de 2017, de uma proposta de protocolo negocial, devidamente calendarizado para 2017, do qual constem as seguintes matérias: regime de transição dos TSDT para as novas carreiras; Tabelas Salariais; Novo regime de titulação e designação profissional; Regime de concursos; Regime de avaliação do desempenho.

Greve afetará praticamente todos os serviços de saúde

Recorde-se que são cerca de 10 mil profissionais em exercício nos Serviços Públicos de Saúde e que no final do ano passado, os TSDT realizaram uma greve histórica de 15 dias seguidos, com taxas de adesão a rondar os 80% diariamente. Uma luta que ficou para a história destas profissões e que paralisou o Sistema Nacional de Saúde (SNS).

   Manifestação dia 16 de novembro de 2016 (1)

Os TSDT são constituídos em 19 profissões e abrangendo áreas como as análises clínicas, a radiologia, a fisioterapia, a farmácia, a cardiopneumologia, entre muitas outras, num total de cerca de 10 mil profissionais em exercício nos serviços públicos de saúde. Esta greve afetará assim praticamente todos os serviços de saúde, com especial incidência nos blocos operatórios, altas e internamentos hospitalares, diagnósticos diferenciados em todas as áreas de intervenção clínica, planos terapêuticos em curso, distribuição de medicamentos, prevenção em saúde, etc.

Acordo de revisão/criação das carreiras foi assinado há 140 dias

No dia 12 de dezembro de 2016 foi assinado o acordo final para a revisão/criação das carreiras de TSDT e todo o percurso legislativo deve ficar concluído no prazo de 180 dias, com a publicação dos respetivos diplomas no Diário da República, sendo que já decorreram 140 dias desse prazo.

No dia 31 de maio, primeiro dia de greve, os TSDT farão uma manifestação em frente ao Ministério da Saúde, em protesto pela discriminação de que são vítimas.

Comunicado de Imprensa/SO/CS