Caminhar durante 30 minutos, três vezes por semana, pode melhorar a qualidade de vida das pessoas com cancro em estado avançado. O estudo foi publicado no BMJ Open.

A investigação juntou a University of Surrey e a Florence Nightingale Faculty of Nursing & Midwifery at King’s College London com o objetivo de perceber o impacto da caminhada na qualidade de vida e na gravidade dos sintomas de pacientes com cancro avançado.

Apesar do crescimento das evidências que mostram os benefícios do exercício nos pacientes com cancro, a atividade física geralmente diminui durante os tratamentos e mantêm-se reduzida depois. As iniciativas que promovem o exercício físico para estes pacientes são normalmente supervisionadas e requerem a deslocação até instalações especializadas, o que se torna num fardo adicional para os pacientes.

O estudo contou com 42 pacientes com cancro que se dividiram em dois grupos. O grupo um recebeu uma formação incentivada pela Macmillan Cancer que incluiu entrevistas motivacionais, a recomendação de caminhar 30 minutos em dias alternados e fazer parte de um grupo voluntário de caminhada semanal. Os benefícios da caminhada foram documentados através da melhoria da força cardiovascular e o aumento dos níveis de energia. O grupo dois foi encorajado a manter o seu nível de atividade atual.

Os investigadores verificaram que os pacientes do grupo um registaram uma melhoria no bem-estar físico, emocional e psicológico. Muitos dos participantes notaram que caminhar melhora a atitude positiva perante a doença e destacaram os benefícios sociais de caminhar em grupo.

 

BMJ Open
DOI 10.1136/bmjopen-2016-013719
Title: CanWalk: A feasibility study with embedded randomised controlled trial pilot of a walking intervention for people with recurrent or metastatic cancer
Authors: Professor Emma Ream

 

Gedeon Richter